Arquivos do Blog

Mystic Tribe @ 15 e 16 Outubro 2011


No ultimo final de semana na cidade de Sarapui, interior de São Paulo, aconteceu, sobre uma garoa interminável, o festival Trance da MYSTIC TRIBE.

Agora posso dizer que entendo o porque deste nome para uma festa, pois vi que as TRIBOS ali reunidas se unem em uma perfeita harmonia MISTICA.

325755_294239443921743_100000070706248_1201032_1024702998_o

E assim foi a Mystic Tribe:

A chuva não deu trégua, a abertura do line teve de ser adiada por cerca de 3h (por causa da chuva), a lama surgiu, carros não conseguiram chegar até a porta do eventos por causa da condição caótica que a estrada ficou, a decoração estava impecável, o line-up era de peso, o sound-system parou quando já era dia, e toda a organização do evento correu e lutou para este item totalmente INSUBSTITUIVEL, voltasse a ação e quando voltou (cerca de 20 minutos depois, que pareciam uma eternidade para os presentes), o volume foi aumentado para alegria e surto de todos e a festa rolou até o fim sem interrupções…

Line Up:

314486_183441131735215_100002079887667_387561_857602177_n

Para MIM as apresentações mais marcantes foram:

Pedro Tchou: – Normalmente o primeiro DJ começa sua apresentação com tracks mais leves e som menos dançante. O que NÃO foi o caso de Pedro Tchou, que começou seu set com “pedradas” de Prog Dark pra não deixar ninguém parado. Primeira vez que pude presenciar seu som e digo que logo de cara já gostei.

Kindzadza: – Russo que é referência do Dark. Mesmo eu não sendo muito chegado a dark parei para escutar seu som que é pura psicodelia.

Headroom: – Belíssima apresentação, fico no aguardo para revê-lo no próximo dia 29 deste mês, na TRIBALTECH Multicult, em Curitiba.

2012: – 328448_294225430589811_100000070706248_1200936_1761160474_oEsses dois paulistas (Edu e Diksha) vem me chamando a atenção a algum tempo, com suas apresentação sempre empolgantes e pelo grande controle e perfeição em suas mixagens, e é claro, por aquele som constante numa linha reta, com menos break’s, o que proporciona um transe coletivo de tirar o fôlego.

Edu vs Zaghini: – Organizadores de um dos mais importantes festivais de Arte e Cultura do Sudeste brasileiro, a RESPECT, sempre mandam aquela sonzeira de fazer o grama virar lama, com seus fortes grooves marcantes.

Rosa Ventura: – Difícil encontrar uma mulher que toque tão bem quanto esta Rosa com seus seus cheios de aVenturas e levada psicodélica.

AKD: – O NOME da festa, afinal, aguardo a mais de 2 anos para revê-los. Ultima apresentação que pude conferir deste duo israelense, foi no aclamado festival ‘Universo Paralello 10’, e logo em seguida já recebia a notificação que estavam por desfazer sua louvosa parceria, o que me deixara entristecido. Quando vi que eles estariam juntos novamente e para minha alegria, no Brasil, fui logo tratando de correr atrás do ingresso. Logo na apertura de seu live, já veio aquele cala frio de estar ali presente e com a câmera na mão não perdendo o começo do que seria A APRESENTAÇÃO desta edição da Mystic. Aquele som melódico, vibrante que deixava a pista relaxada, para que em seguida pulassem e fincassem seus pés na lama de vez, com as viradas rasgadas tão tradicionais ao som deles.

Por conta da chuva, não foi possível a apresentação de luminotecnia do grupo BIOLUMINI, mas estes executaram com grande maestria sua apresentação com malabares de fogo, ao qual tive o prazer de participar.

Por ultimo, uma mensagem de meu amigo Gabriel Campos:

“a chuva só incomoda quem se incomoda com ela! Apenas um dos elementos que estiveram presentes na festa”.

340874_294231460589208_100000070706248_1200956_1800245616_o

Anúncios

Como fazer malabarismo


Então, vamos supor que você queira aprender a fazer malabarismo com facões enquanto se equilibra em uma prancha que está pegando fogo. Por onde começar? Bem, a não ser que queira fazer uma visita à emergência do hospital, a melhor maneira de começar é com inofensivas bolas de malabarismo. Esta seção irá ajudá-lo a aprender o truque básico da cascata com três bolas, do malabarismo de lançamento.

A maioria das pessoas que tenta fazer malabarismo sem receber instrução começa com duas bolas, uma em cada mão. Começa-se lançando a primeira bola em círculo de uma mão para a outra, normalmente da mão dominante para a outra. Depois, quando a bola chega no topo, joga-se a segunda bola para a mão que fez o lançamento e pega-se a bola lançada. Como estão sendo usadas duas mãos para mover dois objetos, isso não é realmente malabarismo de lançamento. No entanto, é a base para o truque shower, que usa três ou mais objetos. Na verdade, o truque shower é relativamente desafiador, em particular para os iniciantes.

Muito mais fácil que o shower é o truque da cascata. Os truques de cascata exigem que a bola seja lançada em círculo de uma mão para a outra e depois de volta para a primeira. O círculo de cada lançamento vai abaixo da trajetória descendente do anterior. Quando você faz malabarismo, suas mãos se movem como o número oito. Sua mão direita se move no sentido horário e a esquerda em sentido anti-horário, em lançamentos alternados. Você pode pensar que está movendo as mãos com as palmas viradas em direção a seu corpo. Isso parece complicado, mas na verdade é bem simples.

illustration to juggling

Para começar, pegue três bolas, preferencialmente de areia que não se movem quando caem no chão, pois certamente você irá derrubá-las muitas vezes. As três devem ter o mesmo tamanho e peso. Por enquanto, deixe duas delas de lado. Posicione seus pés na mesma distância dos ombros e mantenha seus braços dobrados em um ângulo natural e confortável. Lance a bola de uma mão para a outra e depois de volta para a primeira. O topo dos arcos que as bolas formam deve ficar um pouco acima do nível dos olhos. A uniformidade é importante. A altura deve ser a mesma, não importa que você esteja lançando com a mão direita ou esquerda.

Assim que tiver entendido o lançamento, é hora de pegar a segunda bola. Segure uma bola em cada mão. Lance a bola de sua mão dominante formando um arco, assim como já praticou. Quando ela chegar ao topo, lance a segunda bola formando um outro arco que passa por dentro do caminho da bola que está descendo. Evite passar a segunda bola para a mão dominante ou lançar as duas bolas ao mesmo tempo. Você deve conseguir contar os dois lançamentos de forma distinta.

Você não será capaz de fazer um truque estável e leve usando apenas duas bolas, então, não se preocupe se ele parecer um pouco estranho. Assim que se sentir confortável começando com sua mão dominante, é hora de trocar e iniciar com sua outra mão por um tempo. Nada mais deve mudar, contanto que seus lançamentos estejam parecidos. Se perceber que está lançando as duas bolas ao mesmo tempo, você pode especificar seus lançamentos dizendo “um, dois” ou “esquerda, direita.”

 

por Jonathan Strichland.

 

Os vídeos tutoriais dispostos a baixo, servem para exemplificar (ou não rsrs) o que foi dito:

 

 

A arte do malabarismo


A arte do malabarismo entretém espectadores e desafia malabaristas há milhares de anos. Embora antes se limitasse a espetáculos de variedades e palcos, hoje em dia há competições de malabarismo na televisão – e os malabaristas mantêm no alto um número de objetos que parece infinito. O termo, porém, não é exclusivo para objetos lançados para o ar. Tudo, de girar pratos a jogar com bastões chineses, faz parte do malabarismo. Na verdade, é possível definir o malabarismo como o uso da agilidade para manipular um ou mais objetos.

image

 

A maioria das pessoas quando ouve a palavra “malabarismo” pensa somente em malabarismo de lançamento. O malabarismo de lançamento é um dos tipos de malabarismo no qual o artista está lançando e pegando pelo menos um objeto a mais do que o número de mãos que está usando. Em outras palavras, você pode fazer malabarismo com dois objetos e uma mão, mas se você usa as duas mãos com dois objetos na verdade estará brincando de jogar e pegar sozinho.

 

image

O malabarismo através da história


Há quanto tempo existe o malabarismo? Em uma tumba de um príncipe egípcio existem hieróglifos que mostram um grupo de mulheres fazendo malabarismo de lançamento. Os arqueólogos acreditam que a tumba foi construída entre 1994 e 1781 a.C. Até agora, esta é a mais antiga pintura de malabarismo já encontrada.

egyptian jugglers
A imagem está em domínio público
O trabalho artístico de uma tumba egípcia mostrando um grupo de malabaristas

As artes de Tebas, Grécia, Roma, Índia e Europa mostram malabaristas fazendo truques complexos. Anotações sobre malabaristas vêm desde 400 a.C. Uma antiga menção no Talmud descreve Rabbi Shimon ben Gamaliel, que podia fazer malabarismo com oito tochas de uma vez. Malabaristas também podem ser encontrados na antiga literatura irlandesa e norueguesa.

Na Roma antiga, parece que as pessoas consideravam muito os malabaristas. Um pouco depois, os malabaristas passaram por tempos difíceis. As pessoas começaram a considerá-los artistas imorais e trapaceiros. Anotações comparavam malabaristas com mágicos e bruxas, referindo-se a eles como manipuladores corruptos.

No período medieval, os malabaristas voltaram a ser populares na literatura e na arte. Artistas desenhavam malabaristas lançando um número improvável de tochas ou facas. Os malabaristas também eram cantores e mágicos, porque ser malabarista era o mesmo que ser um artista completo, e muitos deles ganhavam a vida viajando de uma cidadezinha até outra. O conselho de Nuremberg, na Alemanha, empregava um malabarista não apenas como artista, mas também como professor. O malabarismo havia se livrado de sua reputação desonrosa.

A partir do fim de 1700, o malabarismo também se tornou uma apresentação importante nos circos. Muitos palhaços incorporaram o malabarismo em suas apresentações, e as duas formas de entretenimento começaram a se juntar na mente do público. Malabaristas modernos costumam reclamar que o público considera o malabarismo como uma forma de entretenimento de circo.

wc fields
A imagem está em domínio público
W.C. Fields começou sua carreira na indústria

de entretenimento como malabarista

O malabarismo também teve um papel importante no entretenimento dos espetáculos de variedades no fim de 1800 e início de 1900. Um malabarista desses espetáculos, chamado W.C. Fields, mais tarde ficou famoso por seu humor negro e seu comportamento irritadiço em vários filmes. Quando os espetáculos de variedades perderam a popularidade e os circos se tornaram mais raros, os malabaristas começaram a desenvolver seus próprios espetáculos, a se apresentar nas esquinas ou a se tornar matemáticos.

Em 1947, numa convenção do International Brotherhood of Magicians (Grupo Internacional de Mágicos), um grupo de malabaristas decidiu que o mundo precisava de uma organização apenas de malabarismo. Eles fundaram a International Juggling AssociationIJA (Associação Internacional de Malabarismo) e tiveram seu primeiro festival independente em 1948. A partir de 1969, a IJA organizou campeonatos de malabarismo. As competições, depois, incluíram divisões para qualidade da apresentação, quantidade de objetos e apresentações individuais e em grupo. Em 2000, o malabarista Jason Garfield fundou a World Juggling Federation (Federação Mundial de Malabarismo), uma organização com o objetivo de assegurar a cobertura televisiva das competições de malabarismo. Hoje em dia, canais esportivos como o ESPN transmitem as competições de malabarismo para expectadores do mundo inteiro.

Segue vídeo divulgado pela World Juggling Federation, do ultimo campeonato de malabarismo, ocorrido em Springfield. Illinois – E.U.A., no período de 5 a 10 de Julho de 2011.

Fire Poi em Laranjeiras do Sul–Paraná


Pequena e simples apresentação, feita em comemoração do Aniversário de Guilherme Sabetzki, na cidade de Laranjeiras do Sul/PR, na data de 30/07/11.

Diversão/Amigos/Local lindo/Boas vibrações/e Música boa

Assim foi o fim de semana que nem vimo passar, quando nos demos conta, já era de pegar a estrada com seus 396km, com destino a Curitiba…

%d blogueiros gostam disto: